Diagnóstico: site tem conteúdo, mas pouca relevância no Google. O que fazer?

Outro dia fiz consultoria para uma cliente que há quatro anos tem um lindo site. O site tem um bom projeto editorial e é respeitado em sua área de atuação, no entanto, está “perdendo audiência ” no Google. Ela me contratou por algumas horas para um diagnóstico.

A autora se dedica exclusivamente ao seu negócio. E publica todos os dias. Tem muita coisa, textos originais e conteúdo relevante e até colaboradores que ajudam na produção de conteúdo fresco e frequente, condição necessária para se destacar nas pesquisas. Ela gosta de fazer tudo ela mesma e está disposta a aprender, portanto, fizemos uma varredura. Abaixo, um resumo que pode ajudar você também!

Primeiro problema:  site não é responsivo, ou seja, não se adapta aos smartphones ou tablets de forma amigável.  Atualmente 90% dos usuários latino-americanos navegam por meio de dispositivos móveis. O Google alertou desde 2015 que sites que não funcionam bem em smartphones perderiam a relevância nas buscas. Tem que ser mobile friendly!!! No Brasil, a busca em dispositivos móveis já alcança 95%.

consultoria-de-seo-tomando-café-na-cafeteria

Você usa o seu site com estratégia? Ele converte, vende seus produtos e serviços? Se isso não está acontecendo … precisamos conversar.

Hierarquizar o texto: é importante ter intertítulos no texto e alguns destaques (como estou fazendo neste post). Lembrar que as URLs devem ser amigáveis e, sobretudo, inserir links internos e externos no site. Os links internos garantem mais permanência dentro do site, os externos o Google vê com simpatia quem compartilha informações citando fontes e outros locais para visitação.

Destaque-se na multidão. Ser explicativo no título ajuda a ser encontrado no google.

Títulos específicos:  foi observado que os títulos dos posts estavam genéricos. Se o Google vê cada post como uma página, ao escrever o título, é melhor manter o foco no assunto principal.  Se o post é sobre “batom”, não adianta usar “maquiagem” no título. Melhor ainda é ser mais descritivo e explícito. Se o post é sobre uma “bolsa”, descreva o material como “bolsa de tecido impermeável”. Assim, será encontrado por aquele que procura estas características. Mas não ultrapasse 70 toques.

Alcance o seu público, mesmo que seja pequeno, fazendo a coisa certa: ajudar quem está procurando o que você oferece … isso evita a taxa de rejeição.

Taxa de rejeição:  de acordo com o Google é o percentual de sessões de uma única página ou seja, sessões nas quais a pessoa saiu do seu site sem interagir, sem navegar. Significa que o leitor encontrou o seu post, mas saiu de lá correndo porque não encontrou o que procurava.

Outro erro que atrapalha o desempenho: colocar um artigo em mais de uma categoria. Isso pode ser visto pelo Google como conteúdo duplicado. Atenção, não pode. Perde relevância e confunde o leitor. Se ele vai em categorias diferentes e encontra o mesmo texto, provavelmente vai pensar que o site é desorganizado. Coloque na categoria mais adequada. Ponto.

Pra que servem as categorias e as tags? Pra ajudar o leitor a navegar no site. Parece óbvio, mas… 

Com as tags é a mesma coisa. Use tags para definir o assunto do texto e ajudar o leitor a encontrar no espaço de buscas. Não pode usar genericamente porque o leitor pode ficar perdido. Se você tem um site de moda e vai fazer um post sobre modelo de calça jeans, não crie a tag “moda” para este post, afinal, se o seu site inteiro é sobre moda e você salvar todos os posts com a tag moda, como é que o seu leitor vai encontrar o post que ele precisa ler? Salve as tags certas, por exemplo, ao falar de um jeans, salve a tag “jeans”, mas lembre-se de destacar nas tags o modelo que está sendo falado, por exemplo “skinny”ou “flaire”.

Imagens devem ser otimizadas no tamanho e no nome do arquivo

As imagens devem ser dimensionadas adequadamente. Muitos usam imagens enormes e, em seguida, reduzem dentro do site. Mas o navegador carrega o tamanho de imagem completa e isso pode causar lentidão.  Reduza suas imagens antes de enviá-las para seu site. Use, por exemplo, o tinypng.com, que reduz o tamanho sem perder qualidade.

Para quem investe em busca orgânica… lembre-se que existem milhões de sites na internet. Para chegar na frente (ao menos até a 5ª página), o principal critério do Google é a qualidade do conteúdo. Portanto, quanto mais próximo o conteúdo estiver de corresponder à palavra-chave pesquisada, mais bem colocada estará a página (post) nos resultados de busca orgânica do Google. Por isso, tem que estar atento ao que chamamos de Alt Tag . Tem que dar nome correto às imagens e estar atento à descrição das mesmas.

Uma foto de um novo pincel de maquiagem deve ser explicativa também. A foto deve ser renomeada, por exemplo, como pincel-para-base-cremosa. Pincel-para-pó-facil. Ou seja, escreva o nome de forma a mostrar a função. Se for importante para o site, escreva também a marca do produto.

Tem ainda os tópicos Title, Meta description, URL’s amigáveis, entre outros.  Para não ficar longo, vou tratar disso em outro post.

Vamos juntos planejar a sua estratégia de conteúdo? Eu ajudo você a ter presença digital, promover seu conteúdo e maximizar seus resultados na busca orgânica .

sandravasconcelos.press@gmail.com

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Novo algoritmo do Google exclui 5% dos sites das buscas

O Google anunciou um novo algoritmo que irá alterar cerca de 5% de todas as buscas, reduzindo a quantidade de sites nos resultados da pesquisa.

Desde 2010 o Google avisa o usuário quando há sites com malware ou invadidos por hackers nos resultados da pesquisa. O clássico: “este site pode danificar o seu computador” é um exemplo. A partir de agora, o Google não vai nem mostrar mais estes sites. Isso significa 5% do total. Segundo Matt Cutts, o ex-chefe de spam no Google, 5% é um número imenso dentro deste universo.

Com este novo algoritmo, sites hackeados ou com malware vão desaparecer das buscas.

Com o novo algoritmo, em determinadas consultas apenas os sites mais relevantes serão mostrados, reduzindo o número de resultados apresentados. Então, ao invés de dez resultados, você pode ter oito ou cinco por página no Google. Veja a imagem abaixo.

google-muda-buscas-novo-algoritmo

A ideia do Google é promover uma “segmentação agressiva para destruir spam, a fim de proteger os usuários e webmasters”. Portanto, páginas que foram invadidas por hackers, não serão mais mostradas. “O objetivo é continuar a refinar o algoritmo para torná-lo ainda melhor”.

Pra evitar riscos de ter seu site invadido e ser “banido” das buscas, contrate o protocolo HTTPS no seu servidor de hospedagem o quanto antes. Isso protege os dados e o site passa mais confiança ao Goolgle e, consequentemente, ao internauta.

Fonte: Seroundtable.

Site bonito, mas não encontrado… Adiantou?

Ninguém encontra seu site só porque ele é bonito. As pessoas encontram os seus produtos e serviços quando elas pesquisam nos motores de busca (Google, Bing e Yahoo) e encontram o conteúdo que você gera (textos, fotografias, vídeos).

Há detalhes importantes para o seu site ter relevância e ser encontrado nos motores de busca, sobretudo por quem não sabe nada sobre a sua marca ou não conhece a sua empresa. Uma das mudanças recentes (e que se tornaram essenciais): seu site deve estar otimizado para ser “lido” de forma correta nos dispositivos móveis (mobile friendly).

Abaixo, um teste realizado em um site desenvolvido pela Maximize Marketing Digital para o cliente Natural Cotton Color. Para saber se o seu site está adequado faça o teste neste link.

website-mobile-friendly-teste-google-paraiba

Ok. O seu site já está com a tecnologia atual. Agora faça outro teste: nas buscas orgânicas (quando alguém procura o produto ou serviço que você oferece) digite lá no Google o que você vende ou serviço que você oferece. Dica: antes de pesquisar, desconecte-se do gmail — se você usa, claro.
Veja o que aconteceu depois de três meses de lançamento do blog corporativo Natural Cotton Color.

O seu site aparece ou não nas cinco primeiras páginas do Google?

Se ele não aparece —  mesmo sendo bonito, agradável e com uma boa experiência de navegação — você sabe o que está acontecendo? A resposta está na evolução do Google: ele prioriza sobretudo o usuário — aquele que faz a pesquisa. Desta forma, com seus algoritmos inteligentes, o Google mostra nos primeiros lugares (e nas primeiras páginas) os sites que estão há mais tempo na internet, que produzem conteúdo constante, ou seja, aqueles que têm informações frescas.

Não adianta o seu site ter apenas “um rostinho bonito” e não ter informações que ajudem a sua empresa a ser encontrada na busca orgânica (sem anunciar). É claro que se você tem dinheiro para investir em Google Adwords (publicidade no Google) você pode ignorar tudo isso que escrevi…

É bom saber que você tem dinheiro pra isso, porque assim será encontrado ainda mais rapidamente. Se você não tem dinheiro para anunciar, deve se garantir com a busca orgânica e caprichar no conteúdo, ou seja, textos, vídeos e fotos.

Importante: para manter seu site atualizado: não adianta dar copy/paste. Só ganha relevância quem deu o conteúdo primeiro. Assim, se copiar dos outros, sem editar o texto, pode até ser punido. Significa que você pode até mesmo não aparecer em nenhuma das páginas. De qualquer forma, mesmo editado, diga qual é a sua fonte, é mais simpático também colocar link para a fonte original.

Siga esta ordem na produção. Esta é a forma profissional de planejar o seu site:

1º passo: Planejamento de marketing digitaL
2º Passo: Projeto editorial
3º Passo: Conteúdo inicial
4º Passo: WEBDesign

A palavra-chave é planejamento. É preciso ter um projeto editorial consistente (orientado pelo plano de marketing) e identidade visual alinhada à sua marca. Infelizmente, ter um site “responsive” (mobile friendly) é essencial, mas não é o suficiente para garantir conversão (consultas de clientes e vendas).

Se o seu site é bonito, mas ninguém encontra nas buscas antes da quinta página… Se é bonito, mas não usa plataforma amigável… Se é bonito, mas não gera conversão, do que adiantou economizar escolhendo um profissional apenas pelo preço?

maximizeconsultoriamarketing@gmail.com

Por que uso Wordpress nos meus projetos?

Sou fascinada pela plataforma Wordpress para projetos de blogs, sites e até portais. Como o meu trabalho tem foco no conteúdo, há recursos para publicações variadas que exijam textos, imagens e vídeos. O melhor é que o WordPress tem uma variedade de temas livres disponíveis. E a cada dia surgem novos modelos (templates) que podem ser customizados de acordo com a marca ou perfil do cliente. Tudo sem precisar gastar muito tempo ou dinheiro.

A plataforma também facilita o SEO — a técnica que ajuda a melhorar a indexação em motores de busca como o Google, Bing, Yahoo. Isso significa que você, seus produtos e serviços podem ser encontrados mais facilmente por quem faz a pesquisa a procura do que você oferece na internet.

wordpress

Plugins de SEO: All in One SEO Pack e WordPress SEO by Yoast

Vale ressaltar que, apesar da plataforma ser amigável para os motores de busca, o seu site não será classificado na primeira página do Google automaticamente só por causa disso. O SEO é um processo contínuo que deve fazer parte do seus esforços de marketing de conteúdo. Ou seja,

mesmo que o WordPress tenha o plugin de SEO, é sempre bom contar com um especialista que entende de busca orgânica — para sempre ser encontrado no Google nas primeiras páginas, mesmo que não pague por anúncios.

Esta pessoa (que pode ser um consultor como eu) deve estar envolvida com o projeto e se relacionar com você – como um membro de sua equipe que possa garantir que você produza o conteúdo da melhor forma possível para alavancar seu negócio. Seu papel é otimizar o site e blog para atrair potenciais clientes e convertê-los em compradores.

Claro que o WordPress não é um milagre, mas ele pode ajudar neste primeiro passo em busca de tempo e atenção dos que navegam e pesquisam na internet. De resto é produzir conteúdo sistematicamente, para atender os seus clientes e se tornar relevante na sua área de atuação.