Da Arca: Guias Especiais para empresas

Um estúdio de design gráfico com vários trabalhos bacanas em São Paulo. Naquele pequeno celeiro criativo, localizado na Rua Oscar Freire, na charmosa região dos Jardins, fazíamos publicações especiais de comunicação corporativa, entre outras criações.

Na época, o estúdio era liderado por Francisco Milhorança na direção de arte e eu, Sandra Vasconcelos, no design gráfico (tempos depois eu também estaria na redação de textos). Ambos atuávamos em um processo que envolvia edição de imagens, diagramação e produção gráfica. Além de contratar fotógrafos e ilustradores.

Em São Paulo desenvolvíamos projetos de design gráfico para vários clientes e marcas.

Dois jobs memoráveis vieram do núcleo de projetos dos Guias Quatro Rodas, do Grupo Abril. Além dos produtos da casa, aqueles feras da redação também desenvolviam projetos editoriais para empresas e instituições. Entre vários projetos de informação feitos pelo nosso estúdio destacamos o Guia SESC Brasil 2004 e o Guia 15 Telefônica.

No Guia SESC Brasil 2004 trazia 258 páginas de informações para desfrutar de viagens pelas 164 cidades do país usufruindo das unidades do SESC: dicas de onde dormir, onde comer e locais para visitar. E, ainda, endereços de mais de 250 centros culturais.  Uma delícia descobrir tantas atrações, afinal, o SESC sempre fez parte do nosso lazer e da nossa vida cultural em São Paulo.

design-grafico-guias

Para o Guia 15 Telefônica foi produzida uma tiragem para ser distribuída como brinde corporativo. Era um guia de serviços de lazer para clientes VIP da empresa de telefonia. No guia, 15 dicas top de alto valor agregado para associar ao 15, o número usado pela Telefônica.

A empresa tinha começado no Brasil poucos anos antes (1998),  no contexto do processo de privatização das telecomunicações, e estava investindo pesado em marketing. Um trabalho de altíssimo nível. Um guia simples, pequeno, de capa dura, mas com informações selecionadas. Edição perfeita da equipe dos Guias Quatro Rodas, finalizado com prazer e capricho por nós.

Só boas lembranças destes dois jobs.

maximizeconsultoriamarketing@gmail.com

Anúncios

Site bonito, mas não encontrado… Adiantou?

Ninguém encontra seu site só porque ele é bonito. As pessoas encontram os seus produtos e serviços quando elas pesquisam nos motores de busca (Google, Bing e Yahoo) e encontram o conteúdo que você gera (textos, fotografias, vídeos).

Há detalhes importantes para o seu site ter relevância e ser encontrado nos motores de busca, sobretudo por quem não sabe nada sobre a sua marca ou não conhece a sua empresa. Uma das mudanças recentes (e que se tornaram essenciais): seu site deve estar otimizado para ser “lido” de forma correta nos dispositivos móveis (mobile friendly).

Abaixo, um teste realizado em um site desenvolvido pela Maximize Marketing Digital para o cliente Natural Cotton Color. Para saber se o seu site está adequado faça o teste neste link.

website-mobile-friendly-teste-google-paraiba

Ok. O seu site já está com a tecnologia atual. Agora faça outro teste: nas buscas orgânicas (quando alguém procura o produto ou serviço que você oferece) digite lá no Google o que você vende ou serviço que você oferece. Dica: antes de pesquisar, desconecte-se do gmail — se você usa, claro.
Veja o que aconteceu depois de três meses de lançamento do blog corporativo Natural Cotton Color.

O seu site aparece ou não nas cinco primeiras páginas do Google?

Se ele não aparece —  mesmo sendo bonito, agradável e com uma boa experiência de navegação — você sabe o que está acontecendo? A resposta está na evolução do Google: ele prioriza sobretudo o usuário — aquele que faz a pesquisa. Desta forma, com seus algoritmos inteligentes, o Google mostra nos primeiros lugares (e nas primeiras páginas) os sites que estão há mais tempo na internet, que produzem conteúdo constante, ou seja, aqueles que têm informações frescas.

Não adianta o seu site ter apenas “um rostinho bonito” e não ter informações que ajudem a sua empresa a ser encontrada na busca orgânica (sem anunciar). É claro que se você tem dinheiro para investir em Google Adwords (publicidade no Google) você pode ignorar tudo isso que escrevi…

É bom saber que você tem dinheiro pra isso, porque assim será encontrado ainda mais rapidamente. Se você não tem dinheiro para anunciar, deve se garantir com a busca orgânica e caprichar no conteúdo, ou seja, textos, vídeos e fotos.

Importante: para manter seu site atualizado: não adianta dar copy/paste. Só ganha relevância quem deu o conteúdo primeiro. Assim, se copiar dos outros, sem editar o texto, pode até ser punido. Significa que você pode até mesmo não aparecer em nenhuma das páginas. De qualquer forma, mesmo editado, diga qual é a sua fonte, é mais simpático também colocar link para a fonte original.

Siga esta ordem na produção. Esta é a forma profissional de planejar o seu site:

1º passo: Planejamento de marketing digitaL
2º Passo: Projeto editorial
3º Passo: Conteúdo inicial
4º Passo: WEBDesign

A palavra-chave é planejamento. É preciso ter um projeto editorial consistente (orientado pelo plano de marketing) e identidade visual alinhada à sua marca. Infelizmente, ter um site “responsive” (mobile friendly) é essencial, mas não é o suficiente para garantir conversão (consultas de clientes e vendas).

Se o seu site é bonito, mas ninguém encontra nas buscas antes da quinta página… Se é bonito, mas não usa plataforma amigável… Se é bonito, mas não gera conversão, do que adiantou economizar escolhendo um profissional apenas pelo preço?

maximizeconsultoriamarketing@gmail.com

Case: Criação de nova marca Redes Santa Luzia

Para comemorar seus 30 anos, a Redes Santa Luzia — agora Santa Luzia –  Redes e Decoração — contratou a Maximize Consultoria de Marketing para redesenhar a marca. A empresa atua no ramo têxtil e produz redes e utilitários de decoração. A fábrica está está localizada em São Bento, no Sertão da Paraíba.

Os produtos da marca estão fortemente ligados à cultura paraibana. Grande parte da produção é exportada para vários países, mas a Santa Luzia Redes e Decoração gera bastante demanda interna, sobretudo as redes de dormir, que são referência na padronagem dos tecidos e no acabamento artesanal em crochê e em macramê.

Hoje a empresa atua no mercado de produtos sustentáveis e oferece peças decorativas desenvolvidas com duas matérias-primas diferenciadas: o algodão colorido orgânico (certificado) e o tecido feito a partir do algodão reciclado. O algodão reciclado surge do tecido desfibrado — sobras que seriam descartadas pela indústria e que são transformadas novamente em fios depois de mesclados com garrafas PET — também um resíduo. Os fios tornam-se novamente tecidos e a Santa Luzia Redes e Decoração, evita o descarte no meio ambiente.

Atualmente o algodão colorido usado pela empresa é cultivado em sistema de agricultura familiar com garantia de compra. Aliás, a Santa Luzia Redes e Decoração foi a primeira empresa privada a subsidiar a plantação de algodão para o uso na fábrica. As famílias dos agricultores também estão envolvidos no processos artesanais na fabricação das varandas das redes, cujo acabamento é feito de forma artesanal.

O designer Francisco Milhorança, da Maximize, atendeu ao desejo de inovação do cliente e desenvolveu uma nova marca limpa e leve, destacando a rede de dormir (carro-chefe da empresa), valorizando a cultura do trabalho artesanal e enfatizando a principal matéria-prima da indústria Redes Santa Luzia, o algodão.

logotipo-redesign-redes-santa-luzia-maximize

“A nova marca é inspirada em fios soltos que se juntam. De um simples traço aludindo à rede — e que também remete ao horizonte – está a flor do algodão”, justificou o designer gráfico. O tipo de letra foi escolhido considerando as características das suas formas, com linhas curvas e delgadas, lembrando os fios que tramam o tecido produzido pela empresa. O slogan da marca também foi alterado. Antes Redes Santa Luzia, passou a ser chamada de Santa Luzia – Redes e Decoração, já que a empresa há tempos ampliou a oferta e o mix de produtos.

O desenho da marca desencadeia outras ações de comunicação visual como a papelaria da empresa, incluindo o catálogo de produtos e até mesmo os uniformes de funcionários que trabalham na indústria têxtil. Vamos atualizando em outros posts.