Objetivos diferentes: conteúdo de marca e marketing de conteúdo

MARKETING DE CONTEÚDO tem como objetivo transformar os visitantes (tráfego) em clientes (leads). Uma boa maneira de atrair audiência é a criação de conteúdo para resolver problemas e desafios que os clientes enfrentam e que sua empresa pode resolver com produtos ou serviços.

Ao criar tópicos que respondem diretamente às perguntas ou desafios do público-alvo, a empresa vai construindo uma relação de confiança e boa-vontade e gerando clientes a partir das soluções que você está vendendo.

No Marketing de Conteúdo é possível incluir o produto ou serviço, mas não como publicidade. Este tipo de conteúdo é pensando para ajudar o espectador a resolver um desafio ou problema específico.

O CONTEÚDO DE MARCA é um conteúdo criado para atrair novos públicos, criar reconhecimento e estimular o engajamento com a marca. No entanto, esse conteúdo não envolve nenhuma divulgação da marca ou de seu produto – a associação é muito leve ou sutil – precisa parecer natural para o espectador.

O conteúdo da marca é sobre associar a marca a um sentimento e a um conjunto de valores, fornecendo algo valioso para o público – um valor educacional ou de entretenimento, por exemplo. O conteúdo da marca usa muito mais as histórias — a narrativa imersiva mergulha o expectador ou leitor em outro mundo.

Como as marcas podem declarar que vidas negras são importantes agora e sempre

A teoria do marketing digital indica que as empresas devem marcar presença onde há tópicos que estão gerando conversas nas mídias sociais. Então vamos a uma questão atual: o que sua marca pode e pretende oferecer quando usa a hashtag de um movimento em luta contra o racismo?

Isso vai depender do que você entende sobre o uso da #BlackLivesMatter. Saiba que #VidasNegrasImportam não é apenas uma hashtag, é um movimento que significa séculos de negros exigindo o fim do racismo sistêmico e estruturado.

Publicar mensagens de apoio e de solidariedade aos protestos desencadeados pela violenta morte de George Floyd parece uma mensagem vazia se a marca não estiver comprometida a participar de mudanças reais contra o racismo estruturado na sociedade.

racismo-redes-sociais

Postar é fácil, mas as ações falam mais do que palavras. 

Como as empresas podem fazer declarações de apoio demonstrando que vidas negras são importantes agora e sempre? O passo mais importante é: concentre-se em iniciativas que permitam que os negros acumulem riqueza. Este é um verdadeiro sinal de compromisso da sua marca contra o racismo.

Vivienne Dovi, executive de media na MediaCom sugere algumas ações concretas.

Coloque dinheiro neste assunto — não basta falar. Tem que contribuir. Se uma marca usa a morte de George Floyd em suas mensagens, ela deve doar para o fundo oficial do memorial. Investir em programas educacionais e em negócios liderados por negros também é relevante. Quando vemos marcas capacitando a comunidade negra, a solidariedade é genuína.

Invista nas comunidades locais – Como são os programas da empresa para a comunidade negra? Já ofereceu espaços no escritório para empresários negros? Já convidou palestrantes negros para falar sobre seus próprios conhecimentos e não apenas sobre temas como identidade?

Olhe para dentro antes de falar – Quantos funcionários negros em posição de liderança há na empresa? Qual é a composição dos funcionários negros? Já perguntou como eles se sentem e qual a expectativa que eles têm da empresa quando aparecem para trabalhar todas as manhãs? Importante: se uma empresa não tem uma diversidade de funcionários em volta da mesa de reuniões, não há diferentes perspectivas sobre a própria marca, produtos, serviços e sobre o mercado.

O racismo acontece durante todo o tempo. Portanto, antes de publicar uma declaração, as marcas precisam garantir que tenham criado uma cultura na qual os funcionários negros possam prosperar. A mudança real começa internamente.

Cadeia de suprimentos — Quais o valores dos parceiros que se alinham à sua marca? Comece eliminando empresas que têm políticas problemáticas. Fale com elas sobre racismo. Neste caso, o foco é garantir que os parceiros também estejam combatendo o racismo sempre que possível. Ao terceirizar serviços de publicidade, por exemplo, observe a equipe de produção contratada para as campanhas. Há diversidade? Há pessoas negras? Elas estão recebendo o mesmo valor que os colegas brancos? Questione.

Reserve um tempo para se educar sobre como ser antirracista. Mudar a si mesmo antes de falar é vital, comprometendo-se a educar o pensamento dentro e fora da empresa. Mostrar o apoio contra o racismo não é feito da noite para o dia. É uma construção de longo prazo.

Conclusão: só vale falar se for uma intenção da empresa, não uma idéia do departamento de marketing ou comunicação. Caso contrário, as pessoas verão o texto como um dado falso. “Se uma marca ativar repentinamente o conteúdo em torno de uma causa que não possui histórico de suporte, ela parecerá superficial”, confirmou RJ d’Hond, da empresa de consultoria de dados Kantar.

A importância de distribuir comunicados de imprensa / releases

Um comunicado de imprensa é distribuído eletronicamente para jornalistas e assinantes do serviço.

Qualquer empresa, ainda que pequena, precisa se manter presente na mídia. Para isso, deve ter como estratégia a distribuição de comunicados de imprensa. A distribuição destes comunicados é um via de mão dupla já que os jornalistas e seus veículos também precisam de pautas e fontes para realizarem o trabalho de forma ampla e profunda.

Também chamados de releases, os comunicados de imprensa devem conter informações relevantes para o setor de atuação da empresa. Esta é uma forma de tentar garantir espaços em reportagens para apuração e opinião em assuntos relacionados.

O momento real de um comunicado de imprensa depende de vários fatores, incluindo a sazonalidade do seu produto ou serviço. No entanto, é importante estar atento às oportunidades e não se limitar a divulgação de lançamentos ou participação em eventos.

Quando a mídia recebe uma sugestão de pauta por meio de um comunicado de imprensa, tem a oportunidade de conhecer uma nova fonte. A empresa tem chance de garantir alguma visibilidade. 

Os comunicados de imprensa são enviados para jornais, revistas, rádio e TV e, ainda, publicações setoriais como indústria ou associações comerciais. Hoje em dia, o release também é enviado para influenciadores com objetivo de ajudá-los a produzirem conteúdos, mas nunca o alvo é o consumidor final. São os jornalistas e os veículos de comunicação que verificam se a pauta é relevante ou não para os seus leitores.

O mais importante para construir autoridade — e se tornar fonte de jornalistas — é a consistência. Releases com pautas relevantes e distribuídos com frequência demonstram que a a empresa é capaz de contribuir para atualizar leitores e/ou fazer análises do mercado.

Quando há  interesse pela pauta, o jornalista deve ter acesso facilitado aos responsáveis pela empresa. Portanto, para responder às questões deve haver pessoas preparadas para que a narrativa da empresa esteja alinhada aos objetivos de comunicação, evitando assim, informações contraditórias. Por isso, um assessor de imprensa ou relações públicas costumam ser os principais aliados nestas ações de comunicação.

Encontre os pontos de interesse do setor e divulgue-os para a mídia

A distribuição pode alcançar apenas a cidade, o estado ou um número limitado de sites de notícias. Isso, claro, custaria menos. Quanto mais abrangente a distribuição, como atingir a mídia nacional e internacional, maior será o investimento e maior será o tempo para fazer a checagem (follow up) e o clipping.

Com vários comunicados de imprensa é possível ganhar atenção da mídia a médio prazo. Pautas com foco no setor em que a empresa atua podem gerar oportunidade da empresa tornar-se fonte. Por isso, a distribuição de comunicados de imprensa é um investimento necessário para criar diálogos desenvolver a imagem da marca.

 

 

 

 

Indústria têxtil da Paraíba na vitrine global Maison & Object em Paris

Press release para Santa Luzia Redes e Decoração
Fevereiro – 2019

Selecionada por curadoria para expor na área Signature Forever — espaço para marcas de luxo e de excelência artesanal da Maison & Object — a Santa Luzia Redes e Decoração expôs seus produtos de algodão colorido orgânico da Paraíba de 6 a 10 de setembro de 2019, durante a Paris Design Week.

Prestes a completar 25 anos, a Maison & Object tem a reputação de ser vitrine global e fonte de inspiração, revelando informações atuais e tendências futuras do design. Este ano a Maison & Object reuniu 3.137 marcas de 69 países. E em cinco dias atraiu um público de 76.862 visitantes para o Centro de Exposições Villepinte, em Paris.

A Santa Luzia Redes e Decoração aproveitou a oportunidade com êxito. “Realizamos negócios e estabelecemos contatos com clientes interessados não somente na estética como também pela nossa proposta de decoração ecológica e de cunho sustentável”, comemora Armando Dantas, CEO da empresa. A fábrica têxtil usa como matéria-prima, além de fios reciclados, o algodão colorido natural e orgânico da Paraíba plantado e colhido em parceria com a agricultura familiar na região do semiárido.

Santa Luzia Redes e Decoração na Maison & Object Paris

Entre os clientes garimpados durante a Maison & Object há até mesmo um museu de arte, redes hoteleiras, arquitetos e lojas de decoração. “Já exportamos para vários países, mas é importante esse endosso especial — expor e vender em uma feira de design onde entramos selecionados por uma rígida curadoria. Isso não somente reforça que estamos no caminho certo como nos ajuda a melhorar ainda mais — já que nosso produto atrai clientes bastante exigentes”, diz Dantas.

Maison & Object – Salão Forever – espaço para marcas de luxo e de excelência artesanal.

Estande Santa Luzia Redes e Decoração

Algodão Colorido Orgânico da Paraíba

As redes, almofadas e mantas da Santa Luzia Redes e Decoração foram expostas no estande Brasil da Associação Brasileira das Empresas de Utilidades e Presentes – ABUP no Hall 7 da Maison & Objeto. A empresa têxtil destacou seu trabalho artesanal com várias técnicas da tipologia têxtil como macramê e fuxico e deu maior visibilidade para a rede Trancê, premiada no final de 2018 com o “Reconhecimento de Excelência Artesanal do Cone Sul” concedido pelo World Crafts Council – WCC (Conselho Mundial de Artesanato) com recomendação da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura – Unesco.

Para Gilberto Agrello, Gerente de Relações Internacionais da ABUP, o prêmio garante relevancia para a empresa. “A Maison & Object é reconhecida e respeitada como uma feira de curadoria de produtos. Certamente o reconhecimento internacional para a Santa Luzia contribuiu para a aprovação da sua participação no importante setor Signature Forever – destinado a produtos de alto padrão”.

A Maison & Object define o setor Signature Forever como espaço para marcas de luxo e de excelência artesanal, refinamento atemporal desenvolvidos com elegância como na alta costura. A Santa Luzia Redes e Decoração expôs no estande ABUP ao lado das marcas Holaria, Marco500, Metaltru, Rima Casa e St. James.

Sobre a Santa Luzia Redes e Decoração
A indústria têxtil Santa Luzia Redes e Decoração atua desde 1986 na criação e desenvolvimento de produtos decorativos pautados pela sustentabilidade e pela inovação — preservando característica cultural local com base no trabalho artesanal.

As redes, mantas, almofadas, cortinas entre outros produtos são feitos com fios ecológicos e exportados para a Europa, a América do Norte e África.

O algodão colorido orgânico é plantado em assentamentos e comunidades tradicionais como a quilombola com contrato de compra garantida. De plantação não irrigada e sem tingimentos, o algodão que já nasce colorido gera 87,5% de economia de água se comparado a um produto comum, tingido pela indústria.

O Arranjo Produtivo Local tem como base o tripé da sustentabilidade: economicamente viável, ecologicamente correto e socialmente justo.

Contato para entrevista:
Armando Dantas – armando@redesantaluzia.com.br

 

Press release: Moda sustentável Natural Cotton Color no salão MODtíssimo em Portugal

Press release Natural Cotton Color Fevereiro – 2018

Resumo:
O grupo Natural Cotton Color, com sede em João Pessoa-PB, exibiu roupas e acessórios produzidos em algodão colorido orgânico no salão MODtíssimo, em 21 e 22 de fevereiro, em Porto, Portugal. O estande também apresentou as roupas de Juliana Gevaerd_bio produzidas em malha retilínea com fios de algodão colorido orgânico da Natural Cotton Color.

Clipping

Portuguese Fashion, a Precious interpretation of Sustainability


https://pt.fashionnetwork.com/news/modtissimo-51-aumento-de-compradores-estrangeiros-contribui-para-balanco-positivo,952427.html

modtissimo tecidos inovadores feira portugal

Estande Natural Cotton Color Modtissimo Portugal

 

 

Durante o evento foram apresentadas criações em moda sustentável da Natural Cotton Color cuja produção é feita com fios, malhas e tecidos planos de algodão colorido orgânico. O design da marca está associado ao trabalho manual. Na cadeia produtiva estão agricultores, artesãos, costureiras, designers e instituições privadas e públicas – da indústria têxtil à órgãos de fomento à exportação.

O algodão colorido orgânico chamou a atenção no MODtíssimo, salão de moda em Portugal com foco na apresentação de tecidos inovadores e tecnológicos.

O algodão colorido orgânico é uma matéria-prima desenvolvida na Paraíba. Foram duas décadas de pesquisa com cruzamento natural de espécies para gerar a pluma que já nasce com a cor (entre os tons que vão do bege ao marrom). A cultura deste algodão é o milagre do semiárido, região onde o nível de chuvas é baixíssimo. Portanto, ainda que a cultura não seja irrigada, o algodão floresce e gera renda para trabalhadores que cultivam a planta em sistema de agricultura familiar movimentando a Economia Criativa ligada à moda sustentável. De acordo com estudos o algodão colorido gera 87,5% de impacto na economia de água quando comparada a roupas de algodão comum, tingidas pela indústria.

Parcerias da moda sustentável com o algodão colorido

No estande foram exibidas coleções prêt-à-porter nas categorias feminina, masculina e infantil, além da coleção Cápsula 2018. Além disso, a Natural Cotton Color apresentou na feira a marca parceira JulianaGevaerd_Bio e suas criações produzidas em tricô de máquina retilínea. O trabalho semi artesanal é feito em teares que exigem domínio técnico e manual.

São vários pontos em texturas variadas demonstrando a versatilidade do fio orgânico. A designer viu no algodão colorido a possibilidade de conjugar o desenho de formas amplas e conceitos fluídos e atemporais de suas peças com a matéria prima ecológica e, assim, criar roupas que se destacam pela diversidade de tramas em espessuras variadas.

Juliana Gevaerd com linha Bio produzida com algodão colorido da Paraíba em parceria com Natural Cotton Color

Juliana Gevaerd lançou a linha Bio com fios de algodão colorido da Paraíba da Natural Cotton Color

Natural Cotton Color participou do Salão MODtíssimo a convite da organização do evento

O convite para a participação da Natural Cotton Color como exibidor da feira em Portugal surgiu de Manuel Serrão, da direção geral do salão MODtíssimo, com apoio das instituições envolvidas no Arranjo Produtivo Local da Paraíba.

“Serrão visitou o Estado e se surpreendeu com nosso algodão e nos convidou para o salão. Nosso entusiasmo foi imediato diante da informação sobre a mostra de tecidos inovadores. Estamos felizes com a receptividade do público que esteve o tempo todo interessado em saber mais sobre o algodão colorido orgânico”, disse. No evento, a marca também lançou calçados desenvolvidos com o algodão ecológico e customizados com detalhes artesanais com rendas do tipo renascença e filé, além de macramê. Os solados, reciclados, foram produzidos a partir de resíduos industriais.

A Natural Cotton Color está focada em um mercado de moda engajado no consumo consciente vinculado ao respeito aos trabalhadores e ao meio ambiente. “Diversos profissionais estão mobilizados pela causa do algodão colorido orgânico”, diz Francisca, que está sempre renovando a coleção e convidando outros criativos para ampliar a oferta de produtos de moda sustentável.

Contato para entrevista:

Francisca Vieira franciscagvieira@hotmail.com

 

 

Whatsapp cresce no envio de notícias

Usuários de redes sociais  preferem acessar notícias pelo WhatsApp. O Brasil é um dos mercados que mais cresceu em compartilhamento pela plataforma.

A queda nas buscas por notícias nas redes sociais Facebook, YouTube e Twitter foi notada entre 2015 e 2016. A redução do Facebook foi de 12%. Já o uso de WhatsApp para acessar notícias cresceu 7%. Ainda assim, o Facebook mantém-se à frente, com 57% dos entrevistados dizendo ter se atualizado sobre o noticiário pela plataforma.

Um dos motivos do crescimento do compartilhamento de notícias pelo WhatsApp são que as mensagens encaminhadas de forma privada evitam o constrangimento do envio público. Os usuários acreditam que desta forma também não são filtradas por algoritmos.  No entanto, 25% dos entrevistados acreditam que a “falta de regras e algoritmos virais” também estimula a propagação de notícias falsas (fake news).

De acordo com a Folha de São Paulo, o relatório Digital News Report foi realizado pelo Instituto Reuters, da Universidade Oxford, no Reino Unido. Foram 36 países pesquisados para a apresentação do resultado divulgado em 2017 (pesquisas realizadas comparando dados de 2015 e 2016).

Fake News – Notícias falsas e manipulação

O fato é que  há mais de 1,2 bilhão de usuários do WhatsApp no mundo. E tornou-se uma plataforma de difusão de notícias e informações falsas. Além do Facebook e do Google, o WhatsApp lançou um guia para que o usuário tente identificar Fake News e inibir a difusão de conteúdos ilegais. Entre as dicas:

O IDGNow! publicou como evitar notícias falsas, seguindo orientações do próprio WhatsApp

  • observe se há erros gramaticais e links desconhecidos.
  • fique atento às promoções suspeitas com pedidos de compartilhamento de conteúdo
  • nunca responda ou envie dados pessoais para mensagens que se dizem “oficiais” do próprio aplicativo.

A importância do Google Plus G+ na sua comunicação

Você participa da rede social Google Plus? Tem no seu site o botão de compartilhar do G+? Segundo Hubspot, depois de analisar mais de 5 mil sites, aqueles que utilizam o botão “+1” obtém 3.5 x de visitas. Veja alguns argumentos para você marcar presença e distribuir e compartilhar  o seu conteúdo no Google Plus.

O G+ tem 500 milhões de usuários ativos (6% só no Brasil).

Parece pouco comparado ao Facebook (1,8 bilhões de usuários e mais de 100 milhões só no Brasil), mas, ao contrário do Facebook — pensado para você ver fotos de parentes e colegas de escola — o Google Plus foi desenvolvido para unir pessoas e profissionais com as mesmas paixões e os mesmos interesses, por isso está centrado em dois recursos: Coleções (uma maneira de agrupar mensagens por tema) e Comunidades (lembra do sucesso do Orkut?).

O G+ permite aproximar a sua marca dos seguidores e potenciais clientes com base no conteúdo de interesse. É importante estar lá e encontrá-los.

Eu costumo justificar para os meus clientes que a presença e a participação ativa no Google Plus tem um motivo incontestável: a rede social tem muita relevância nas buscas porque ela é o próprio Google.  Se você, sua marca ou serviço está no G+, está no Google! Por isso, um post nesta rede social pode até aparecer primeiro nas pesquisas do Google mesmo se você já tem um blog corporativo ativo.

Em 2017 Google Plus anunciOU mudanças

Recentemente, o G+ anunciou algumas mudanças. De acordo com o comunicado oficial, elas são resultado da solicitação dos próprios usuários. Portanto, o foco é mostrar o que mais interessa aos seguidores. O visual ficou um pouco apertado para caber mais posts e anunciou a ocultação de comentários (mas permitindo acesso a todos – veja na imagem). Também adicionou uma funcionalidade de zoom para fotos. E trouxe de volta a opção de criar eventos – permitindo que os usuários convidem outros.

google plus atualizacao 2017 - comentarios

• Nem todos os comentários ficam visíveis
• Tem mais espaço para o conteúdo com mais posts aparecendo
• Agora tem zoom nas fotos
• Volta dos eventos – similares aos do Facebook

google plus atualizacao 2017 - zoom em imagens

Diagnóstico: site tem conteúdo, mas pouca relevância no Google. O que fazer?

Outro dia fiz consultoria para uma cliente que há quatro anos tem um lindo site. O site tem um bom projeto editorial e é respeitado em sua área de atuação, no entanto, está “perdendo audiência ” no Google. Ela me contratou por algumas horas para um diagnóstico.

A autora se dedica exclusivamente ao seu negócio. E publica todos os dias. Tem muita coisa, textos originais e conteúdo relevante e até colaboradores que ajudam na produção de conteúdo fresco e frequente, condição necessária para se destacar nas pesquisas. Ela gosta de fazer tudo ela mesma e está disposta a aprender, portanto, fizemos uma varredura. Abaixo, um resumo que pode ajudar você também!

Primeiro problema:  site não é responsivo, ou seja, não se adapta aos smartphones ou tablets de forma amigável.  Atualmente 90% dos usuários latino-americanos navegam por meio de dispositivos móveis. O Google alertou desde 2015 que sites que não funcionam bem em smartphones perderiam a relevância nas buscas. Tem que ser mobile friendly!!! No Brasil, a busca em dispositivos móveis já alcança 95%.

consultoria-de-seo-tomando-café-na-cafeteria

Você usa o seu site com estratégia? Ele converte, vende seus produtos e serviços? Se isso não está acontecendo … precisamos conversar.

Hierarquizar o texto: é importante ter intertítulos no texto e alguns destaques (como estou fazendo neste post). Lembrar que as URLs devem ser amigáveis e, sobretudo, inserir links internos e externos no site. Os links internos garantem mais permanência dentro do site, os externos o Google vê com simpatia quem compartilha informações citando fontes e outros locais para visitação.

Destaque-se na multidão. Ser explicativo no título ajuda a ser encontrado no google.

Títulos específicos:  foi observado que os títulos dos posts estavam genéricos. Se o Google vê cada post como uma página, ao escrever o título, é melhor manter o foco no assunto principal.  Se o post é sobre “batom”, não adianta usar “maquiagem” no título. Melhor ainda é ser mais descritivo e explícito. Se o post é sobre uma “bolsa”, descreva o material como “bolsa de tecido impermeável”. Assim, será encontrado por aquele que procura estas características. Mas não ultrapasse 70 toques.

Alcance o seu público, mesmo que seja pequeno, fazendo a coisa certa: ajudar quem está procurando o que você oferece … isso evita a taxa de rejeição.

Taxa de rejeição:  de acordo com o Google é o percentual de sessões de uma única página ou seja, sessões nas quais a pessoa saiu do seu site sem interagir, sem navegar. Significa que o leitor encontrou o seu post, mas saiu de lá correndo porque não encontrou o que procurava.

Outro erro que atrapalha o desempenho: colocar um artigo em mais de uma categoria. Isso pode ser visto pelo Google como conteúdo duplicado. Atenção, não pode. Perde relevância e confunde o leitor. Se ele vai em categorias diferentes e encontra o mesmo texto, provavelmente vai pensar que o site é desorganizado. Coloque na categoria mais adequada. Ponto.

Pra que servem as categorias e as tags? Pra ajudar o leitor a navegar no site. Parece óbvio, mas… 

Com as tags é a mesma coisa. Use tags para definir o assunto do texto e ajudar o leitor a encontrar no espaço de buscas. Não pode usar genericamente porque o leitor pode ficar perdido. Se você tem um site de moda e vai fazer um post sobre modelo de calça jeans, não crie a tag “moda” para este post, afinal, se o seu site inteiro é sobre moda e você salvar todos os posts com a tag moda, como é que o seu leitor vai encontrar o post que ele precisa ler? Salve as tags certas, por exemplo, ao falar de um jeans, salve a tag “jeans”, mas lembre-se de destacar nas tags o modelo que está sendo falado, por exemplo “skinny”ou “flaire”.

Imagens devem ser otimizadas no tamanho e no nome do arquivo

As imagens devem ser dimensionadas adequadamente. Muitos usam imagens enormes e, em seguida, reduzem dentro do site. Mas o navegador carrega o tamanho de imagem completa e isso pode causar lentidão.  Reduza suas imagens antes de enviá-las para seu site. Use, por exemplo, o tinypng.com, que reduz o tamanho sem perder qualidade.

Para quem investe em busca orgânica… lembre-se que existem milhões de sites na internet. Para chegar na frente (ao menos até a 5ª página), o principal critério do Google é a qualidade do conteúdo. Portanto, quanto mais próximo o conteúdo estiver de corresponder à palavra-chave pesquisada, mais bem colocada estará a página (post) nos resultados de busca orgânica do Google. Por isso, tem que estar atento ao que chamamos de Alt Tag . Tem que dar nome correto às imagens e estar atento à descrição das mesmas.

Uma foto de um novo pincel de maquiagem deve ser explicativa também. A foto deve ser renomeada, por exemplo, como pincel-para-base-cremosa. Pincel-para-pó-facil. Ou seja, escreva o nome de forma a mostrar a função. Se for importante para o site, escreva também a marca do produto.

Tem ainda os tópicos Title, Meta description, URL’s amigáveis, entre outros.  Para não ficar longo, vou tratar disso em outro post.

Vamos juntos planejar a sua estratégia de conteúdo? Eu ajudo você a ter presença digital, promover seu conteúdo e maximizar seus resultados na busca orgânica .

sandravasconcelos.press@gmail.com

 

 

 

 

 

 

 

Case presença digital: Fred Pinheiro Designer de Joias

Com objetivo de ampliar o seu mercado de atuação, o designer de joias Fred Pinheiro entrou em um marketplace específico de sua área (e-joialerismo) e criou sua própria loja virtual.  Desta forma, em sua nova etapa profissional, quer expandir e atender além do Rio de Janeiro, onde está o seu ateliê.

Ao contrário da loja física, a loja virtual tem custo baixo de manutenção. E também não necessita de estoques. Desta forma, Fred Pinheiro pode investir em comunicação para ir além e enviar joias para outros lugares do Brasil, não só no Rio de Janeiro e São Paulo, onde já tem clientes fiéis.

Nas buscas do Google detectamos que o seu nome não estava associado ao produto que ele oferece: joia contemporânea. Havia outros dois profissionais com nome Fred Pinheiro, um deles tatuador e, outro, era líder comunitário — ambos com forte presença digital. Após as pesquisas sobre palavras-chave relacionadas, sugerimos que ele usasse o termo “designer de joias” como complemento ao seu nome.

Esta palavra-chave tem maior demanda nas buscas e dá identidade para a sua atuação profissional. Assim, sugerimos um novo domínio para o seu novo site: fredpinheirodesignerdejoias 

Entramos aí numa disputa mais feroz no mercado, porque o Google dá prioridade para quem chegou antes e vem produzido conteúdo sistematicamente. Alguns designers de joias estão fazendo um trabalho de presença digital há muito mais tempo, garantindo maior relevância na indexação do Google. 

Apesar de alguns anos antes haver algumas notícias de Fred Pinheiro como joalheiro na mídia (com menção as suas lojas em São Paulo e Búzios) e a sua participação em exposições, a sua presença digital nos buscadores estava limitada. Fred Pinheiro não tinha conteúdo disponível e, mesmo sendo heavy user das redes sociais (Instagram e Facebook), só poderia ser encontrado nos buscadores por quem o já conhecia pelo nome e, ainda assim, era preciso um esforço para isso.

A proposta É ajudar o cliente a ser encontrado pelo que ele faz, pelo que ele oferece, não necessariamente pelo nome ou PELA marca. 

Após  as pesquisas e o planejamento, fizemos o projeto editorial para a criação de um blog e começamos a desenvolver os posts dentro das editorias. Conteúdo informativo que vai desde materiais utilizados até o processo criativo do joalheiro e, ainda, curiosidade sobre o setor de joias. Pedimos que criasse um perfil no Google Plus — importantíssimo na distribuição do conteúdo gerado no blog e também um canal de youtube (que ficou para uma próxima etapa).

O site Fred Pinheiro Designer de Joias entrou no ar em dezembro, mas foi lançado oficialmente em março, com distribuição de release para a imprensa. Tivemos este tempo de maturação para que ele se adaptasse a uma rotina de produção de conteúdo.

Sem investir em publicidade, apenas de forma orgânica, já pudemos notar uma melhora em termos associados ao seu trabalho. Agora, é preciso manter o ritmo das publicações para garantir que fique ainda melhor posicionado.

Fred Pinheiro já garantiu presença digital no Google com algumas importantes palavras-chave até a 5ª página do Google.  Em alguns casos, na primeira página (veja imagem abaixo).

marketing_digital_fred_pinheiro

A presença na rede social G+ garantiu que ele fosse encontrado na primeira página do Google com a busca “anel de ouro com turmalina”

Fred me informou sobre a solicitação de quatro orçamentos de clientes novos. Alerto sempre aos nossos clientes de projetos em marketing digital que, para converter visitas em orçamentos e fechar negócio, há outros fatores como a concorrência de preços e até mesmo prazo de entrega.

No entanto, o designer de joias Fred Pinheiro tem credibilidade no meio em que atua e o nome dele é conhecido na joalheria. O seu preço pode ser maior em função desta experiência. Agora, é preciso investir em adwords e até mesmo criar ações de vendas lançando mão de aliados, seus contatos e clientes construídos com base na relação de confiança. Por isso, incluimos a recomendação de outros clientes que são, também, formadores de opinião.

O conteúdo que Fred Pinheiro vai produzir deve ajudar na presença digital, mas também garantir a autoridade e gerar a confiança de novos clientes. Sobretudo, por se tratar de produto de alto valor agregado — seja pelos metais e pedras preciosas, seja pelo design das peças.  Por isso, a principal estratégia do marketing de conteúdo é estreitar relacionamentos, já que o diferencial deste joalheiro é convidar seus clientes para criar a peça junto com ele. No entanto, sempre mantendo a privacidade dos mesmos.

Fred-Pinheiro-Designer-Joias-Estadao-clipping

A assessoria de imprensa (distribuição de release) também ajudou a marcar a presença digital do seu nome no Google na página 2 do Google)

Na Maximize Consultoria e Marketing estamos seguros de que, se mantiver o ritmo, o designer de Joias Fred Pinheiro vai liderar o ranking nas buscas por joias.

O que diz o cliente

“Através da Sandra Vasconcelos e seu empenho em descobrir novos caminhos e possibilidades, pude dar início a uma nova fase no meu trabalho e, principalmente, no que diz respeito a reinserção da marca no mercado. Incansável e exigente e, acima de tudo, profissional e competente, não tenho a menor dúvida em indicá-la.” (Fred Pinheiro) 

6 dicas para maximizar o seu marketing digital

O marketing digital é essencial para as empresas, mas é preciso estar atualizado diante da dinâmica que a tecnologia oferece! O tempo todo novas ideias devem ser incorporadas e ajustadas ao mercado. Por exemplo, quem imaginaria que atualmente o vídeo seria a mídia mais acessada nos smartphones? Por isso, ao pensar o conteúdo, temos que pensar no formato mobile para maximizar a presença digital. Veja estas dicas.

Em 2017 o vídeo representa  69% de tráfego de internet entre os consumidores (Cisco). Incluir vídeo em página de captura de emails aumenta a conversão em até 80% (Unbounce)

1. A visualização de vídeos cresceu muito. Esta é a nova maneira de consumir conteúdo. Produza materiais institucionais, tutoriais de uso do produto ou serviço em vídeo. Youtube é vida! 

2. As mídias sociais estão cada vez mais interativas, por isso o sucesso do SnapChat inspirou o Instagram, Twitter, Facebook e Whats App a desenvolverem funcionalidades que permitem transmissão ao vivo.  Pense em produzir conteúdo e usar estes recursos e aproxime-se dos clientes gerando diálogo e mais transparência com eles.

3. O foco deve ser a produção de conteúdo para o seu cliente. E, para alcançá-lo, é preciso saber quais suas necessidades, desejos e dúvidas. E, assim, poder supri-lo com informação relevante.

4. Dê atenção ao SEO (Search Engine Optimization) com a principais palavras-chaves em sites, blogs e vídeos, além de links internos e externos. Mas fique atento porque se o usuário chegar até você e não encontrar o que está, de fato, procurando… vai abandoná-lo, aumentando sua taxa de rejeição. Neste caso, o Google vai tirando a sua relevância e pode jogar seu conteúdo para o buraco negro da internet.

5. É fundamental anunciar para ganhar espaço e ser visto, portanto, invista em links patrocinados para ganhar visibilidade nas buscas e nas redes sociais. Olho vivo: cada mídia tem suas características e linguagens mais propícia para gerar resultado. E fique atento à segmentação oferecida no Google AdWords e do Facebook Ads.

6. É importante usar ferramentas para automação do marketing como captação de leads e análise de métricas. Também é importante um calendário para ajudar a gerenciar a produção de conteúdo para blogs e redes sociais. Cresce a oferta de softwares (pagos) para melhorar a perfomance.