Diagnóstico: site tem conteúdo, mas pouca relevância no Google. O que fazer?

Outro dia fiz consultoria para uma cliente que há quatro anos tem um lindo site. O site tem um bom projeto editorial e é respeitado em sua área de atuação, no entanto, está “perdendo audiência ” no Google. Ela me contratou por algumas horas para um diagnóstico.

A autora se dedica exclusivamente ao seu negócio. E publica todos os dias. Tem muita coisa, textos originais e conteúdo relevante e até colaboradores que ajudam na produção de conteúdo fresco e frequente, condição necessária para se destacar nas pesquisas. Ela gosta de fazer tudo ela mesma e está disposta a aprender, portanto, fizemos uma varredura. Abaixo, um resumo que pode ajudar você também!

Primeiro problema:  site não é responsivo, ou seja, não se adapta aos smartphones ou tablets de forma amigável.  Atualmente 90% dos usuários latino-americanos navegam por meio de dispositivos móveis. O Google alertou desde 2015 que sites que não funcionam bem em smartphones perderiam a relevância nas buscas. Tem que ser mobile friendly!!! No Brasil, a busca em dispositivos móveis já alcança 95%.

consultoria-de-seo-tomando-café-na-cafeteria

Você usa o seu site com estratégia? Ele converte, vende seus produtos e serviços? Se isso não está acontecendo … precisamos conversar.

Hierarquizar o texto: é importante ter intertítulos no texto e alguns destaques (como estou fazendo neste post). Lembrar que as URLs devem ser amigáveis e, sobretudo, inserir links internos e externos no site. Os links internos garantem mais permanência dentro do site, os externos o Google vê com simpatia quem compartilha informações citando fontes e outros locais para visitação.

Destaque-se na multidão. Ser explicativo no título ajuda a ser encontrado no google.

Títulos específicos:  foi observado que os títulos dos posts estavam genéricos. Se o Google vê cada post como uma página, ao escrever o título, é melhor manter o foco no assunto principal.  Se o post é sobre “batom”, não adianta usar “maquiagem” no título. Melhor ainda é ser mais descritivo e explícito. Se o post é sobre uma “bolsa”, descreva o material como “bolsa de tecido impermeável”. Assim, será encontrado por aquele que procura estas características. Mas não ultrapasse 70 toques.

Alcance o seu público, mesmo que seja pequeno, fazendo a coisa certa: ajudar quem está procurando o que você oferece … isso evita a taxa de rejeição.

Taxa de rejeição:  de acordo com o Google é o percentual de sessões de uma única página ou seja, sessões nas quais a pessoa saiu do seu site sem interagir, sem navegar. Significa que o leitor encontrou o seu post, mas saiu de lá correndo porque não encontrou o que procurava.

Outro erro que atrapalha o desempenho: colocar um artigo em mais de uma categoria. Isso pode ser visto pelo Google como conteúdo duplicado. Atenção, não pode. Perde relevância e confunde o leitor. Se ele vai em categorias diferentes e encontra o mesmo texto, provavelmente vai pensar que o site é desorganizado. Coloque na categoria mais adequada. Ponto.

Pra que servem as categorias e as tags? Pra ajudar o leitor a navegar no site. Parece óbvio, mas… 

Com as tags é a mesma coisa. Use tags para definir o assunto do texto e ajudar o leitor a encontrar no espaço de buscas. Não pode usar genericamente porque o leitor pode ficar perdido. Se você tem um site de moda e vai fazer um post sobre modelo de calça jeans, não crie a tag “moda” para este post, afinal, se o seu site inteiro é sobre moda e você salvar todos os posts com a tag moda, como é que o seu leitor vai encontrar o post que ele precisa ler? Salve as tags certas, por exemplo, ao falar de um jeans, salve a tag “jeans”, mas lembre-se de destacar nas tags o modelo que está sendo falado, por exemplo “skinny”ou “flaire”.

Imagens devem ser otimizadas no tamanho e no nome do arquivo

As imagens devem ser dimensionadas adequadamente. Muitos usam imagens enormes e, em seguida, reduzem dentro do site. Mas o navegador carrega o tamanho de imagem completa e isso pode causar lentidão.  Reduza suas imagens antes de enviá-las para seu site. Use, por exemplo, o tinypng.com, que reduz o tamanho sem perder qualidade.

Para quem investe em busca orgânica… lembre-se que existem milhões de sites na internet. Para chegar na frente (ao menos até a 5ª página), o principal critério do Google é a qualidade do conteúdo. Portanto, quanto mais próximo o conteúdo estiver de corresponder à palavra-chave pesquisada, mais bem colocada estará a página (post) nos resultados de busca orgânica do Google. Por isso, tem que estar atento ao que chamamos de Alt Tag . Tem que dar nome correto às imagens e estar atento à descrição das mesmas.

Uma foto de um novo pincel de maquiagem deve ser explicativa também. A foto deve ser renomeada, por exemplo, como pincel-para-base-cremosa. Pincel-para-pó-facil. Ou seja, escreva o nome de forma a mostrar a função. Se for importante para o site, escreva também a marca do produto.

Tem ainda os tópicos Title, Meta description, URL’s amigáveis, entre outros.  Para não ficar longo, vou tratar disso em outro post.

Vamos juntos planejar a sua estratégia de conteúdo? Eu ajudo você a ter presença digital, promover seu conteúdo e maximizar seus resultados na busca orgânica .

sandravasconcelos.press@gmail.com

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s