Whatsapp cresce no envio de notícias

Usuários de redes sociais  preferem acessar notícias pelo WhatsApp. O Brasil é um dos mercados que mais cresceu em compartilhamento pela plataforma.

A queda nas buscas por notícias nas redes sociais Facebook, YouTube e Twitter foi notada entre 2015 e 2016. A redução do Facebook foi de 12%. Já o uso de WhatsApp para acessar notícias cresceu 7%. Ainda assim, o Facebook mantém-se à frente, com 57% dos entrevistados dizendo ter se atualizado sobre o noticiário pela plataforma.

Um dos motivos do crescimento do compartilhamento de notícias pelo WhatsApp são que as mensagens encaminhadas de forma privada evitam o constrangimento do envio público. Os usuários acreditam que desta forma também não são filtradas por algoritmos.  No entanto, 25% dos entrevistados acreditam que a “falta de regras e algoritmos virais” também estimula a propagação de notícias falsas (fake news).

De acordo com a Folha de São Paulo, o relatório Digital News Report foi realizado pelo Instituto Reuters, da Universidade Oxford, no Reino Unido. Foram 36 países pesquisados para a apresentação do resultado divulgado em 2017 (pesquisas realizadas comparando dados de 2015 e 2016).

Fake News – Notícias falsas e manipulação

O fato é que  há mais de 1,2 bilhão de usuários do WhatsApp no mundo. E tornou-se uma plataforma de difusão de notícias e informações falsas. Além do Facebook e do Google, o WhatsApp lançou um guia para que o usuário tente identificar Fake News e inibir a difusão de conteúdos ilegais. Entre as dicas:

O IDGNow! publicou como evitar notícias falsas, seguindo orientações do próprio WhatsApp

  • observe se há erros gramaticais e links desconhecidos.
  • fique atento às promoções suspeitas com pedidos de compartilhamento de conteúdo
  • nunca responda ou envie dados pessoais para mensagens que se dizem “oficiais” do próprio aplicativo.

Anúncios