Pesquisa para o Dicionário de Artes Visuais da Paraíba

Como jornalista e produtora cultural realizei em 2014 alguns trabalhos bacanas. Um deles foi pesquisar nomes e atualizar dados para o artista, crítico e curador de arte Dyógenes Chaves, lançado em 2015.

Um trabalho lindo. Ele reuniu mais de 500 verbetes no Dicionário de ‪‎Artes Visuais‬ da Paraíba, entre artistas e instituições culturais paraibanas. A publicação foi lançada em oito de dezembro de 2015, às 19h, na Sala Vladimir Carvalho da Usina Cultural Energisa, em João Pessoa-PB. O projeto foi realizado após extensa pesquisa que buscou catalogar não só artistas, mas também profissionais envolvidos na cadeia produtiva das Artes Visuais.

capa-dicionário-divulgação

A proposta foi contemplada pelo Programa Petrobras Cultural 2012 no segmento “Preservação e Memória” e resultou em pesado livro e site. “Trata-se de um mapeamento dos artistas visuais paraibanos desde o século XIX até os dias atuais, englobando artistas plásticos, fotógrafos, designers, chargistas, quadrinistas, museólogos, arte-educadores, restauradores, produtores culturais, críticos de arte e coletivos artísticos”, diz o autor do projeto.

Foi uma honra trabalhar ao lado de Dyógenes Chaves na galeria Rede, em Manaíra, para divulgação deste importante documento para o Estado da Paraíba. Foi com muita emoção que recebi o meu Dicionário de Artes Visuais da Paraíba onde ele também indexou meu nome como jornalista e produtora cultural.

A matéria sobre o evento e publicação saiu em vários jornais locais como Correio da Paraíba, Jornal A União e Jornal da Paraíba.

Clipping-Dicionario-Artes-Visuais

“Estimular a realização de projetos de interesse público e que contemplem a cultura brasileira em toda a sua diversidade étnica e regional; consolidar o trabalho de resgate, recuperação e organização do acervo material e imaterial da cultura brasileira; estimular a reflexão sobre a cultura e o pensamento brasileiros; e, contribuir para uma melhoria do quadro geral da cultura nacional e para a afirmação da cultura como direito social básico do cidadão se encontram entre os objetivos do Programa Petrobras Cultural”, conclui Dyogenes Chaves.

“DICIONÁRIO DAS ARTES VISUAIS NA PARAÍBA”
Dyógenes Chaves
Editora: 2OU4 | 324 páginas
Formato: 26 x 27,5 cm

Anúncios

Curadoria x Conteúdo: tem diferença?

O que você compartilha no seu perfil? Quando você destaca seus interesses para que os seus seguidores desfrutem das novidades, você está fazendo curadoria. Com tantas informações disponíveis, a curadoria de conteúdo é uma necessidade para qualquer um.

O curador garimpa, analisa e contextualiza de forma particular e disponibiliza as informações. A curadoria requer paciência, olho afiado e crítica — e deve ser guiada pelos objetivos de marketing. Alguns escolhem fazer curadoria a partir de conteúdos já publicados em sites (o que caracteriza plágio, sob risco de punição). Outros profissionais adaptam o conteúdo à própria linguagem para satisfazer seus seguidores.

A curadoria de conteúdo exige uma profunda compreensão dos algorítimos dos motores de busca, por isso é preciso ser fluente em um dialeto particular da web.

O conteúdo está associado a textos e imagens produzidos pela empresa ajudando o público a construir uma série de retornos positivos. Este conteúdo exclusivo pode ser baseado em várias fontes ou até mesmo abordado por meio de dados. Para se destacar e ganhar corações e mentes, é preciso produzir conteúdo relevante. Em meio a concorrência de mercado, as informações disponíveis e acessíveis são fundamentais para a decisão de compra de um cliente. Além de contribuir para ser encontrado, o conteúdo fortalece o relacionamento e gera fidelidade já que demonstra transparência e acessibilidade.

A partir da curadoria e do conteúdo, há necessidade de maximizar esta informação para garantir audiência. De novo, com tanta informação disponível, é preciso chamar a atenção. Importante escolher os canais de distribuição (compartilhamento) e estar atento para não desperdiçar energia e dinheiro. O melhor é atingir o alvo a partir de escolhas certas, sobretudo diante de tantas redes sociais.

Em se tratando de empresa, é precisa ir além do compartilhamento porque é preciso cumprir objetivos. Para isso, encontrar um jornalista que entenda esta nova língua e este novo contexto das mídias digitais é um desafio.

Eu sou curadora e também webwriting e tenho um enorme prazer em fazer este trabalho… até porque, além de desafiador, ele nunca será entendiante pra mim.

Se precisar, é só enviar uma mensagem: sandravasconcelos.press@gmail.com